Hoje é Seg Jul 23, 2018 2:28 pm





Criar novo tópico Responder Tópico  [ 13 Mensagens ]  Ir para a página 1, 2  Próximo
Tempo Noturno 
Autor Mensagem
Avatar de usuário

Data de registro: Dom Nov 16, 2008 4:53 pm
Mensagens: 607
Localização: Incerta
Mensagem Tempo Noturno
Tema: Mistério.

____________

Ele andava tristemente pela rua enegrecida, a chuva vinha mais forte e constante a cada minuto, canção para seus ouvidos. Canção melancólica. Enquanto as poucas pessoas corriam e abrigavam-se, ele apreciava a chuva como consolo em sua vida miserável e apodrecida. Avistou com a visão embaçada um lugar mais deserto ao longe e resolveu caminhar até lá. O tempo parecia-lhe uma mistura do cobre e da prata na paleta de algum artista revoltado.
Viu uma casa antiga cercada por ervas daninha e flores sem vida. Ela tinha muros de pedras cobertos por lodo e caindo aos pedaços, as gotas de chuva arrastavam-se pelas janelas ovuladas como lágrimas. Uma delas vazada por uma pedra. A porta era arredondada. Vista de longe, a casa lembrava um rosto sofrido. Na frente um banco de pedra velho e ensopado, no qual ele se sentou para descansar um pouco. Fechou os olhos com força, tentando recordar-se da noite anterior. Uma garota, uma mulher...? Era difícil se concentrar, sua cabeça latejava fortemente.
A chuva começou a diminuir e ele ficou mais atento aos pequenos detalhes do lugar, observava as poças de água e os pequenos círculos multiplicados que as gotas causavam nela. E ouvia cada som com mais nitidez, todos os seus sentidos, de alguma maneira, foram despertados de repente. Ele estava desorientado e, tonto, apagou para a noite.

– Acorde, Daniel – Ele ouviu alguém dizer. – Como está pálido... Espero que me perdoe. – Aos poucos ele foi abrindo os olhos com certa dificuldade. Meu nome não é Daniel... Onde estou? Tentou dizer, mas estava muito fraco. Viu uma mulher dos cabelos ruivos como fogo e os olhos verdes como musgo colocar algo quente em sua testa. Agora ele percebia o quão frio estava.
– Tudo bem, você vai ficar melhor com o tempo, desculpe-me, Senhor Daniel... – Ela disse, tinha a voz fina e delicadamente sedutora. Estava usando um vestido de seda dourado longo. Deixou-o deitado na cama confortável e após cobri-lo com o cobertor levantou-se e saiu quietamente. Ele observou seu vulto, particularmente pálido, sair e ficou violentamente tonto. Desmaiou novamente.

Sentiu alguém tocar-lhe a testa. Abriu os olhos, um pouco mais forte.
– Boa noite, Sr Daniel. – A mulher apareceu novamente. – Está tudo bem?
– Eu não me chamo Daniel... – Disse ele fracamente num sussurro.
– Perdoe-me senhor... Este é o nome lhe dado para esta ocasião. Daniel, anjo da guarda. A sua senhora virá vê-lo em alguns minutos. Sou Amélia, por favor, não me esqueça... – Disse ela e saiu novamente deixando-o naquele ambiente sombrio.
Mas como...? Onde estou? Ainda mais perdido do que antes, o denominado Daniel olhou ao seu redor. Tudo parecia mais antigo, parecia-lhe estar em um quarto de realeza. Chovia. As janelas, ao lado de sua cama eram ovuladas, e davam vista para um lindo jardim que cercava a casa. O som da chuva dava certo toque de melancolia no lugar. Na frente da casa havia um banco de pedra no qual se podia ver um vulto.
– Boa noite, meu esposo. – Ele virou o rosto para ver a mulher. Esta tinha um olhar magnético negro e usava um vestido elegante vermelho-escuro que contrastava com sua pele clara. – Frio, não?
– Eu não conheço você. – Disse ele, friamente, e voltou o olhar para fora da janela, o vulto podia ser identificado como um homem qualquer.
– Não conhece? – A mulher parecia decepcionada. – Se não conhece por que sobreviveu a tão horrível doença que já lhe fazia delirar há dias febril nesta cama? – Ela caminhou até ele. – Ah, meu pobre amado, não conseguimos nenhum médico por causa da chuva, tu lutastes sozinho contra essa enfermidade. – Ele estava com dificuldade para compreender aquela fala antiga usada por aquela mulher.
– Mas como...? Eu não lutei sozinho. Amélia estava cuidando de mim. – Retrucou.– Amélia? Mas deves estar delirando ainda. Amélia já morreu há mais de vinte anos, você sabe que ela era movida por amor a você, por que estás mencionando está serva? Seu anjo da guarda bobo... – Observavam-se seus olhos brilharem umedecidos.
– Conte... Conte o que eu fiz... Eu não lembro... – Daniel, confuso, começava a sentir-se tonto outra vez.
– Você sabe, você sabe que ela não teria morrido se não tivesse tentado salvá-la outra vez, anjo da guarda? Que ideia inútil. Você sabe... Até hoje não sei se lhe agradeço ou não... Enfim, aguardo-o para o jantar. – Disse ela, recuperando a postura de uma dama e saindo para interpretar seu papel.
Daniel, inconformado, levantou-se rapidamente e olhou mais uma vez para a janela. O homem estava caindo, parecendo fraco. Olhou rapidamente para o espelho que havia no quarto e percebeu espantado que não era a mesma pessoa de antes. Meu Deus! Aquele homem sou eu..., pensou. E saiu do quarto seguido por olhares discretos dos empregados. O céu gritou com um trovão que quase o fez cair de susto. Chegou à porta arredondada e incomum, abriu-a passando com uma dificuldade imensa. Mesmo sem saber o que acontecia com clareza, ele precisava voltar a si para achar Amélia.
Enquanto andava a chuva fazia-lhe um peso enorme, e, de repente, ele estava perdido pelo canteiro de flores apodrecidas e ervas daninha. Deu uma ultima olhada no banco de pedra onde um homem caído era ajudado por uma mulher ruiva. Amélia... Desmaiou.

Acordou com a chuva forte da madrugada em seu rosto, levantou-se dolorido do banco e olhou para trás. A casa ainda era a mesma casa velha e acabada de quando havia chegado. Com o mesmo aspecto triste e morto. Confuso olhou atentamente para a janela quebrada e viu um rosto pálido de olhos verdes e cabelos avermelhados. Amélia...? Aproximou-se mais, ela tentava dizer-lhe algo. “Minha... culpa, Daniel... perdoe-me...”. Foi o que ouviu daquela voz fraca com um toque de sedução. No entanto ao chegar mais perto da janela, viu seus olhos verdes desapareceram junto com ela para outra realidade.
_____________________



Dom Fev 01, 2009 2:09 pm
Perfil E-mail WWW
Avatar de usuário

Data de registro: Qua Jan 07, 2009 7:03 pm
Mensagens: 358
Mensagem Re: Tempo Noturno
Depois? ÒO Guria, se tu não continuar agora eu mato você. ù-u
Eu odeio autor que faz isso, vocês ainda me matam do coração e de vontade de ler. ù-u Isso é crueldade. i-i
Enfim... {/Ataque histerico mode off} Eu realmente estou adorando, ficou divertido... Continue logo, tá? ;3


Dom Fev 01, 2009 2:58 pm
Perfil E-mail
Avatar de usuário

Data de registro: Sáb Nov 15, 2008 2:16 pm
Mensagens: 1302
Localização: Germany
Mensagem Re: Tempo Noturno
Ui que misterioso @__@ adorei! E vocês tem carma com esse nome, hein? >XD As duas fizeram uma fic com o Daniel! LOL! Gostei mesmo da fic, Ama ;D [como sempre...] mas eu não posso te obrigar a continuar porque eu não tenho um pingo de moral pra fazer isso! :DD **********-mór*


Seg Fev 02, 2009 2:40 pm
Perfil E-mail WWW
Avatar de usuário

Data de registro: Dom Nov 16, 2008 4:53 pm
Mensagens: 607
Localização: Incerta
Mensagem Re: Tempo Noturno
Coloquei o restante, eu recomendaria ler do início porque mudei umas bobagens. Acho que não sou muito boa com contos de mistério x_x'. Mas, enfim, ja ta aí.


Seg Fev 02, 2009 9:19 pm
Perfil E-mail WWW
Avatar de usuário

Data de registro: Qui Jan 22, 2009 6:18 pm
Mensagens: 969
Localização: Hinamizawa
Mensagem Re: Tempo Noturno
Sugoi! As suas histórias são sempre boas de ler.


Editado pela última vez por Kanna em Sáb Fev 07, 2009 11:11 pm, num total de 1 vezes

Ter Fev 03, 2009 2:58 am
Perfil E-mail
Avatar de usuário

Data de registro: Qua Jan 07, 2009 7:03 pm
Mensagens: 358
Mensagem Re: Tempo Noturno
Ficou bacana, gostei. ;3

Mitsuboru escreveu:
Ui que misterioso @__@ adorei! E vocês tem carma com esse nome, hein? >XD As duas fizeram uma fic com o Daniel! LOL! Gostei mesmo da fic, Ama ;D [como sempre...] mas eu não posso te obrigar a continuar porque eu não tenho um pingo de moral pra fazer isso! :DD **********-mór*


Eu tenho carma com esse nome. e-e Com certeza.
Sempre terei. LOL (?)


Qua Fev 04, 2009 10:33 pm
Perfil E-mail
Avatar de usuário

Data de registro: Dom Nov 16, 2008 4:53 pm
Mensagens: 607
Localização: Incerta
Mensagem Re: Tempo Noturno
Mika escreveu:
Mitsuboru escreveu:
Ui que misterioso @__@ adorei! E vocês tem carma com esse nome, hein? >XD As duas fizeram uma fic com o Daniel!


Eu tenho carma com esse nome. e-e Com certeza.
Sempre terei. LOL (?)



Esse nome me persegue desde a infância :3
PS: não ficou bom, não x_x. Preciso fazer um outro com o nome Daniel de novo.


Qua Fev 04, 2009 10:44 pm
Perfil E-mail WWW
Avatar de usuário

Data de registro: Sáb Nov 15, 2008 2:16 pm
Mensagens: 1302
Localização: Germany
Mensagem Re: Tempo Noturno
A segunda parte é confusa o__o mas deve fazer parte de todo um contexto empolgante que, por trás destas singelas palavras, vem nos mandar para um mundo distante cheio de romance, suspense e segredos! Uau, agora eu falei bonito u_u deve ser por causa da sua fic 8D'


Sex Fev 06, 2009 2:38 pm
Perfil E-mail WWW
Avatar de usuário

Data de registro: Dom Nov 16, 2008 4:53 pm
Mensagens: 607
Localização: Incerta
Mensagem Re: Tempo Noturno
Eu vou treinar mistério, esses meus contos de mistérios ficam misteriosos demais... qualquer dia esclareço mais um pouco esse.


Sáb Fev 07, 2009 11:10 pm
Perfil E-mail WWW
Avatar de usuário

Data de registro: Sáb Nov 15, 2008 2:16 pm
Mensagens: 1302
Localização: Germany
---------
Mensagem Re: Tempo Noturno
Ama escreveu:
Eu vou treinar mistério, esses meus contos de mistérios ficam misteriosos demais...
Não é essa a finalidade do mistério? >XD LOL!


Dom Fev 08, 2009 12:53 pm
Perfil E-mail WWW
Mostrar mensagens anteriores:  Organizar por  
Criar novo tópico Responder Tópico  [ 13 Mensagens ]  Ir para a página 1, 2  Próximo


Quem está online

Usuários vendo este fórum: Nenhum usuário registrado online e 0 visitantes


Você não pode criar novos tópicos neste fórum
Você não pode responder tópicos neste fórum
Você não pode editar suas mensagens neste fórum
Você não pode excluir suas mensagens neste fórum
Você não pode enviar anexos neste fórum

Procurar por:
Ir para:  
cron